Please select featured categories (for ticker) in theme admin panel. You can select as much categories as you want.

ALEXANDRIA

O cineasta chileno radicado na Espanha Alejandro Amenábar vinha de dois grandes sucessos, Os Outros e Mar Adentro, quando realizou seu projeto mais ambicioso: Alexandria. Com roteiro dele próprio, junto com Mateo Gil, o filme se passa no ano de 391, na cidade egípcia do título e conta a história de uma mulher pioneira, Hipátia (Rachel Weisz), que era professora de astronomia e matemática, e também filósofa. Bastante avançada para seu tempo, ela ainda é alvo da paixão de dois homens: Davus (Max Minghella), um de seus alunos; e Orestes (Oscar Isaac), um escravo. A rotina de Hipátia e de seus pretendentes muda completamente quando o Cristianismo ganha poder político na cidade, que está sob domínio romano. O fundamentalismo religioso propõe a extinção da famosa biblioteca local, além de outras instituições. Cabe a ela lutar contra o retrocesso que se avizinha. Amenábar tinha consciência do terreno minado que estava pisando. Alexandria, apesar de contar um história que aconteceu 17 séculos atrás, continua bastante atual. São inúmeros os casos relatados nos telejornais envolvendo intolerância religiosa e preconceito contra mulheres. É provável que isso explique o pouco interesse do público em relação ao filme quando de seu lançamento. Muita gente não gosta de se ver na tela. Questões de cultura e religião à parte, Alexandria é um filmaço e ponto final. Nem que seja apenas por ter resgatado o nome dessa grande mulher que foi Hipátia.

ALEXANDRIA (Agora – Espanha 2009). Direção: Alejandro Amenábar. Elenco: Rachel Weisz, Max Minghella, Oscar Isaac, Ashraf Barhom, Rupert Evans, Michael Lonsdale, Homayoun Ershadi e Sammy Samir. Duração: 126 minutos. Distribuição: Flashstar.

Last modified: 18 de novembro de 2017

Uma resposta para “ALEXANDRIA”

  1. Jic (José Inácio) disse:

    Com algumas liberdades artísticas, aliás científicas, citando Copérnico, Galileu e Einsten, e ainda assim um hino da liberdade de pensamento.

    Reserve o seu direito a pensar, mesmo pensar errado é melhor do que não pensar.”
    ― Hipátia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


William Wordsworth’s Golden Age Theories during the Industrial Revolution in England, 1750–1850