Please select featured categories (for ticker) in theme admin panel. You can select as much categories as you want.

BUSCANDO…

Filme do dia, Slider

Longa de estreia do cineasta Aneesh Chaganty, nascido na Índia e criado nos Estados Unidos, Buscando… gira, quase que inteiramente, no mundo virtual. O roteiro, escrito pelo próprio diretor junto com Sev Ohanian, conta a história de David Kim (John Cho). Ele é um pai que busca encontrar sua filha Margot (Michelle La), que desapareceu misteriosamente. Chaganty havia feito um curta para o Google antes. Daí sua familiaridade com o tema. A filmagem foi bem rápida. Durou apenas 13 dias. No entanto, o diretor levou dois anos para finalizar o filme por conta das inúmeras telas que utilizou e teve que traduzir para diferentes países. Buscando… discute também, de maneira subtextual, algo bem comum nos dias atuais. Muitos pais pouco interagem com seus filhos no mundo real e no virtual. Quase nada sabem do que eles fazem e com quem se relacionam. É como se existissem dois mundos distintos, duas vidas paralelas. Aqui, a partir de uma certa altura, até existe uma justificativa para essa falta de conhecimento. Mas, claro, não deixa de funcionar com um alerta importante. Em sua busca, David invade o computador de Margot e descobre uma filha que ele não conhecia como imaginava. Ao mesmo tempo, a detetive Vick (Debra Messing) assume a investigação do caso e também levanta pistas e suspeitas do que poderia ter acontecido com ela. As investigações, a real e a virtual, se confundem, se completam e se afastam à medida que a história avança. Isso estimula o suspense que é bem conduzido pela narrativa.

BUSCANDO… (Searching – EUA 2018). Direção: Aneesh Chaganty. Elenco: John Cho, Debra Messing, Michelle La, Joseph Lee, Sara Sohn, Melissa Disney, Connor McRaith, Erica Jenkins e Steven Michael Eich. Duração: 102 minutos. Distribuição: Sony.

Last modified: 9 de janeiro de 2019

Uma resposta para “BUSCANDO…”

  1. Esse filme me surpreendeu. O roteiro é muito bem trabalhado no suspense, com várias reviravoltas inimagináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *