Please select featured categories (for ticker) in theme admin panel. You can select as much categories as you want.

UM HOMEM, UMA MULHER

Filme do dia, Slider

311.Um Homem, Uma Mulher

Apesar de não ter feito parte da Nouvelle Vague, o cineasta Claude Lelouch se valeu de algumas lições do movimento em Um Homem, Uma Mulher, filme que o lançou mundialmente. O roteiro de Pierre Uytterhoeven nos apresenta uma inusitada história de amor. Jean-Louis Duroc (Jean-Louis Trintignant) e Anne Gauthier (Anouk Aimée) se conhecem por acaso em uma tarde de domingo em frente ao colégio interno onde seus filhos estudam. Ambos são viúvos recentes e a lembrança dos antigos parceiros ainda é muito forte. Quando o filme foi lançado, em 1966, além da química do casal principal e do belo tema musical, um fator inesperado chamou a atenção: há sequências em preto e branco e outras em cores. Muita gente acreditou se tratar de uma decisão estética do diretor. Na verdade, isso ocorreu por questões de orçamento. Lelouch precisou alternar o tipo de película para diminuir os gastos de produção. Inclusive reduziu sua equipe a um total de apenas sete técnicos. Um Homem, Uma Mulher fez muito sucesso no mundo todo e ganhou alguns prêmios importantes, como a Palma de Ouro em Cannes e o Oscar de filme estrangeiro e roteiro original. Duas décadas depois, Lelouch reuniria novamente Trintignant e Aimée em Um Homem, Uma Mulher: 20 Anos Depois. Porém, sem o mesmo brilho e charme.

UM HOMEM, UMA MULHER (Un Homme et Une Femme – França 1966). Direção: Claude Lelouch. Elenco: Jean-Louis Trintignant, Anouk Aimée, Pierre Barouh, Valérie Lagrange, Antoine Sire, Souad Amidou, Henri Chemin e Yane Barry. Duração: 102 minutos. Distribuição: Warner.

Last modified: 9 de julho de 2018

Uma Resposta para “UM HOMEM, UMA MULHER”

  1. Gabriel disse:

    Muito bom!

Deixe uma resposta